quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

O que é o Amor na Educação Espírita

O primeiro e o máximo princípio da Pedagogia Espirita é o amor, pois é o amor que move o Espírito, despertando-lhe a vontade de ascenção. Mas como se trata de um conceito desvirtuado em múltiplas deformações, é preciso antes de mais nada dizer o que o amor não é. O amor não possui, o amor não domina o outro, não se desmanda ou fere. Não se acomoda com o poder e a injustiça, não se erotiza quando é maternal, paternal, fraterno, pedagógico. Também não é chantagista, com o sentimentalismo interesseiro e mesquinho.
O amor que deve brotar do educador pelo educando é o amor de inteira doação, de empenho completo pelo seu progresso. O educador que ama não pensa nos próprios interesses, nas próprias vontades, na satisfação do seu ego. Só o amor  nobre e desinteressado  é capaz de acordar o outro Espírito para sí mesmo e faze-lo acreditar no bem, querer o bem e agir no bem. O educador precisa demonstrar praticamente o que é a fraternidade real, a que renuncia pela felicidade do próximo, entendendo-se que a felicidade do educando não é a satisfação de seus caprichos, o mimo a suas tendência negativas, mas a contribuição efetiva para a sua realização espiritual.
O amor pedagógico não compactua com a tirania; por isso é não -violento, jamais pune, porque a punição revolta, avilta, humilha. O amor, ao contrário, convida, enternece, conquista. Mas, por outro lado, é enérgico e forte, ativo e corajoso e assim consegue mobilizar as vontades dormentes e lança-las na busca do infinito.  ( Dora Incontri- Pedagogia Espírita)
Muito ainda há que se aprender a amar no sentido mais puro da palavra, para que possamos desempenhar esta nobre tarefa de educar, porém o importante é o nosso esforço diário nesta aprendizagem  para que possamos auxiliar nossos pequenos no seu progresso intelectual, mas acima de tudo moral, através do afeto e o nosso maior exemplo é o amor de Jesus Cristo por todos nós.

A Educação na Visão Espirita

A educação é o processo permanente de aperfeiçoamento do Espírito, é o despertar de suas potencialidades, a realização gradativa de sua divindade, não só numa dada existência, mas eternidade a fora . Renascemos múltiplas vezes, ascendemos de mundo em mundo, experimentamos ações. debruçamo-nos sobre a natureza do cosmos, para decifrá-lo, tudo isso faz parte do processo pedagógico em que fomos lançados como Espíritos em evolução. A educação é o sentido mesmo da exis-tência. É o meio e finalidade, processo e meta.
Por isso quando considerada em seu aspecto restrito de educação para o aqui e agora, deve sempre transbordar para a interexistência, em seus objetivos e métodos, em suas concepções e propostas. Nunca pode ser somente ajuste sociocultural, somente profissionalização, somente desenvolvimento cognitivo. Tem de ser tudo isso e mais ainda, pois deve colocar o indivíduo na trilha do seu desabrochar espiritual completo. Deve promover uma vida interexistente.
E ainda, deve entregar ao ser-educando a responsabilidade de auto-educar-se. despertando-lhe o impeto para isso.
Assim, educar é antes de tudo, conquistar a adesão do educando para a sua própria educação. O único bem necessário e possivel ao ser humano é estar em sintonia com a lei da evolução, é estar impulsionada para seguir adiante, rumo a conquista de si na eternidade e no infinito. Se o Espírito mobilizou a vontade e sente em si mesmo a elã de progredir, tudo o mais esta feito. O maior mal a evitar é a estagnação, a apatia, o adormecimento da vontade. ( Dora Incontri, Pedagogia Espírita).

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Um Ano Novo com Muito Amor

video
                                          Video do diálogo do Pequeno Principe com a Raposa.

Desejo no ano de 2013 muito amor em todos os corações, pois este é o único sentimento que
nos eleva e que foi exemplificado pelo Grande Educador e Mestre: Jesus Cristo.
"Somente com o coração nós podemos ver com clareza, o essencial é invisivel para os olhos".